Quinto peixe-boi chega em plataforma flutuante em praia do Ceará para adaptação antes do retorno à natureza | Ceará – Jornal Notícias do Ceará

O cativeiro para aclimatação de peixes-bois recebeu mais um animal na manhã desta quinta-feira. Tico, de seis anos, é o quinto animal resgatado pela ONG Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos, a chegar à plataforma flutuante no município de Icapuí, litoral leste do Ceará. Esse é o primeiro passo antes do retorno definitivo para a natureza.

Antes de chegar à Praia, Tico estava no Centro de Reabilitação de Mamíferos Marinho, localizado no Sesc Iparana, em Caucaia. Além do deslocamento desta quinta-feira, duas transferências aconteceram em 2020: uma em junho, em que os animais Alva e Maceió foram transferidos para plataforma, e outra em novembro, quando as fêmeas Maní e Pintada chegaram até o local.

Ao todo, 40 pessoas participaram do deslocamento, entre voluntários e agentes de segurança — Foto: Divulgação

A preparação para a operação teve inicio as 19h30 da última quarta-feira (9) e se encerrou nas primeiras horas desta quinta-feira. Duas equipes, compostas por biólogos e voluntários, ofereceram suporte durante o transporte. A Polícia Militar do Ceará, através do Regimento de Polícia Montada, também esteve presente no caminho até a Praia da Peroba. Além do efetivo, participaram da transferência o Batalhão de Policiamento de Meio Ambiente, da Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Ceará, o Corpo de Bombeiros e a Prefeitura de Icapuí.

Segundo a ONG a ação ocorreu de forma bem sucedida. “Nas duas primeiras translocações que realizamos, também neste anos, estávamos bem ansiosos, visto ser uma manobra nunca realizada no Ceará. E esse pioneirismo foi bem sucedido pois nossa equipe estava bem preparada e segura quanto ao nosso cronograma técnico”, pontua a organização. Por ser a última operação do ano, a equipe abriu espaço para crianças da comunidade de Peroba acompanhar a ação e se aproximar do ano, já “algo que dificilmente acontece na natureza”.

Biólogos e voluntários ofereceram suporte durante o transporte do animal — Foto: Divulgação

Diferente de outras regiões do Brasil, em que a adequação é feita em mangues, o processo de aclimatação adotado pela Aquasis acontece diretamente no mar. A estrutura foi montada a 300 metros da costa, o que permite que os animais se adaptem em águas marinhas.

Tico é o quinto e último animal resgatado a chegar a Icapuí. Com a capacidade máxima do cativeiro de aclimatação atingida – a estrutura suporta, no máximo, cinco animais, a ONG encerra uma fase de translocações bem sucedidas no Ceará.

A estadia na plataforma de aclimatação, contudo, é temporária: a Aquasis espera iniciar a soltura dos peixes-bois aclimados no primeiro semestre de 2021. Até lá, o grupo será monitorado por uma equipe especializada, que deve acompanhar o desenvolvimento dos bichos em habitat natural.

A ONG também destaca que logo após a soltura desses animais, o ciclo de transferência de outros animais, já resgatados, terá inicio. “Só nesse último período [do ano], a Aquasis resgatou três novos filhotes de peixes-bois, o que nos mostrar que o trabalho não para”, pontua.

Por , em 2020-12-10 20:59:00


Fonte g1.globo.com

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: