Rugindo em quadra: Fortaleza BC tem o melhor início de sua história no NBB – Jogada – Jornal Notícias do Ceará

Enfim, o antigo Carcará alça voos maiores no Novo Basquete Brasil (NBB). Com a parceria do Fortaleza, o agora “CarcaLaion” tem o melhor início de sua história na elite do basquete brasileiro.

Em um mês, o Fortaleza Basquete Cearense conquistou cinco vitórias em oito jogos, igualando o número de triunfos da temporada passada após 26 rodadas. No último domingo (6), bateu o Brasília por 71 a 63 depois de já ter derrotado o Cerrado e o Caxias, todos adversários diretos na disputa pela vaga aos play-offs do NBB 2020/21. Apenas os 12 melhores times dos 16 avançam ao mata-mata.

Foi a terceira vitória seguida da equipe treinada por Alberto Bial na temporada. A última vez que conseguiu essa sequência foi em dezembro de 2018, quando engatou quatro triunfos, ainda sob o comando do técnico Dannyel Russo. Até então, os melhores começos de temporada do grupo cearense haviam sido em 2012, 2015, 2016 e 2017, quando venceu três duelos e perdeu cinco nas oito rodadas iniciais.

Uma marca que demonstra, além da boa fase, uma consistência ao Carcará que não existia em um passado recente. Com 13 pontos, figura na 7ª posição na tabela do campeonato, próximo até do G-4, que garante vaga direta nas quartas de final.

O reforço do Tricolor

A parceria firmada com o Fortaleza em setembro foi benéfica para os dois lados. O Basquete Cearense evoluiu tanto no âmbito administrativo com os recursos do Leão do Pici quanto no aspecto esportivo, com os reforços de nomes de peso como Lucas Bebê e de Desmond Holloway e do retorno de Alberto Bial, confirmado já em junho.

O comandante havia deixado a equipe cearense em 2018 e voltou para liderar o novo projeto, que deu a confiança necessária a um grupo abatido depois do fracasso da temporada passada – encerrada antes do tempo por causa da pandemia -, quando estava na vice-lanterna.

Em 2020, o que mudou o ambiente da equipe, de acordo com Bial, é o senso de unidade no grupo.

“A grande diferença é que o nosso time, hoje, tem consciência da importância do poder da unidade. Os jogadores compraram essa ideia, com as viagens, com as dificuldades pela doença. São muito disciplinados. Na quadra, é um reflexo: todos jogam pelo bem maior da equipe. O mais importante é todos estarem cientes sobre a responsabilidade igual no time”, declarou o técnico em entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste.

No fim de novembro, seis casos de Covid-19 foram registrados no elenco, além do próprio treinador. Apesar dos vários desfalques, o Fortaleza BC garantiu a vitória por 85 a 78 diante do Caxias do Sul, a primeira da maratona de jogos na bolha do NBB em Brasília. “Chegarmos à quinta vitória, sendo três em sequência, traz uma personalidade, uma confiança muito importante. No basquete, quando você encorpa uma equipe, quando ela ganha moral, a ascensão se torna um caminho menos tortuoso. Mesmo com esse turbilhão que abateu o time, fomos serenos e passamos da forma como tem que passar as contusões e as doenças”, comemorou Bial depois do resultado contra o Brasília no último fim de semana.

Finalizador nato

Um dos principais fatores para o sucesso tricolor no ano tem nome e altura: Desmond Holloway, ala/armador de 1,94 cm. Reforço vindo do São Paulo, o norte-americano rapidamente cravou seu espaço no CarcaLaion e hoje é um dos destaques da competição.

Com média de 23,3 pontos por partida, atrás apenas do ala/pivô Lucas Dias (23,6), do Franca, Holloway tem a segunda melhor média do NBB 2020/21. Diante do Brasília, novamente foi o cestinha, com 17 pontos.

“Foi uma vitória muito importante. Todo mundo tá jogando com confiança e com a equipe. Precisamos ir pra Mogi com a mesma atitude”, falou o atleta, que já conversa em português.

Para Bial, Holloway impressiona não só pela habilidade em quadra, mas por sua força mental e de personalidade, engajando os colegas a irem no mesmo ritmo. “É extraordinário. Um dos melhores norte-americanos com quem já trabalhei. Ele tem um senso competitivo tremendo e influencia os outros. Além de performar bem, tem essa chama de competição e exige dos outros. Se torna até chato para alguns, mas para mim é um bom exemplo. O time colabora e entende que ele é o nosso jogador finalizador”, revelou o técnico ao Diário do Nordeste.

Semana cheia

A semana é de descanso e de trabalho tático para o Fortaleza, que enfrenta o Mogi das Cruzes, outro oponente direto, na segunda-feira (14), a partir das 17h, no Ginásio Professor Hugo Ramos.

A maratona na bolha de São Paulo foi destacada por Bial, que deve contar, pela primeira vez, com todos os atletas disponíveis para a série de cinco embates decisivos.

“Na quarta-feira, começamos a trabalhar a parte tática e a física e a desenvolver aquilo que pretendemos para essa nova fase. São cinco jogos. É um minicampeonato paulista contra Mogi, Corinthians, Pinheiro, Franca e São Paulo. Cinco jogos em nove dias, uma tarefa árdua. Vamos equilibrar os treinamentos para, pela 1ª vez, ir com a equipe completa para esses confrontos no fim do ano” , disse o comandante do time cearense.

“Mogi teve a melhor equipe taticamente no ano passado, com o melhor técnico. Está fazendo partidas primorosas. No período entre as nossas viagens, temos que aperfeiçoar muito nosso sistema defensivo. Com essas vitórias, demos uma moralizada grande no íntimo dos jogadores e no respeito do Basquete Cearense”, falou Alberto Bial.

Com a moral revigorada e o foco em manter a excelente fase, o Fortaleza Basquete Cearense pode brigar não somente pela classificação aos play-offs, como nas últimas temporadas. A intenção maior pode se tornar o avanço às finais e sacramentar ainda mais a já histórica campanha na elite do basquete brasileiro.



Quero receber conteúdos exclusivos de esporte





Por , em 2020-12-11 07:43:19


Fonte diariodonordeste.verdesmares.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: