Decreto amplia horário do comércio e proíbe festas durante Natal e Ano Novo no Ceará | Economia – Jornal Notícias do Ceará



FORTALEZA registrou aumento de 31,9% dos casos da Covid e de 48,3% nos óbitos com relação à quinzena anterior

Decreto Estadual específico para o período do Natal e do Ano Novo amplia o horário de funcionamento dos shoppings e comércio de rua (das 9h às 23h) com 50% de sua capacidade máxima. A determinação proíbe a realização de quaisquer festas e eventos sociais e corporativos em ambientes fechados ou abertos. Com vigência de 15 de dezembro e 4 de janeiro, a medida visa evitar a maior propagação da Covid-19 nas festas de fim de ano. A mudança foi anunciada em publicação nas redes sociais ontem, 11, pelo governador Camilo Santana (PT).

O documento, publicado na noite desta sexta-feira, determina que restaurantes, barracas de praia, praças de alimentação de shoppings, lojas de conveniência em postos e estabelecimentos afins funcionem com 50% de sua capacidade e fechem 22 horas. O limite é de seis pessoas por mesa e fica proibido pessoas em pé, mesmo na calçada. Entes públicos estão proibidos de realizarem festas de Réveillon na virada do ano, a não ser em meio virtual.

Em hotéis e pousadas, o limite de pessoas em quartos é de 3 adultos ou 3 adultos e 3 crianças. O setor hoteleiro deve obter antecipadamente o Selo Lazer Seguro, a ser solicitado à Sesa, mediante cumprimento de funcionar com o limite de 80% de capacidade. O descumprimento das medidas do decreto pode acarretar em sanções. Se após a autuação estabelecimentos retornarem a infringir regras, será feita um novo auto e o local fica interditado e proibido de funcionar com sete dias, apenas retornando com um parecer favorável de inspeção.

“O objetivo é frear a maior propagação do vírus, até que tenhamos a vacina, cuja aquisição estamos empreendendo todos os esforços para conseguir o mais rápido possível”, anunciou. Segundo Camilo, o planejamento foi feito com respeito às normas sanitárias e “buscando preservar ao máximo a economia e os empregos.” Decisão foi anunciada após reunião do Comitê que delibera sobre os decretos relativos à pandemia no Estado. O atual decreto de isolamento social continuará da mesma maneira e será prorrogado por mais uma semana sem alterações.

O número de mortes provocadas pela Covid-19 no Ceará subiu 57,4% na última semana (de 29 de novembro a 5 de dezembro) em comparação à semana anterior (22 a 28 de novembro). As informações são de boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) publicado nesta sexta-feira. Aumento de mortes está relacionado à aumento da infecção em idosos.

Nas duas últimas semanas de novembro (de 15 a 28 de novembro), Fortaleza apresentou elevação de 31,9% dos casos da doença e de 48,3% do número de óbitos com relação à quinzena anterior (de1º a 14 de novembro). No Interior do Estado, esse aumento de casos foi de 40,3%, sendo o incremento de óbitos de 8,8%, no mesmo intervalo de tempo.

Conforme o documento, 19 das 22 Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) do Ceará apresentaram aumento no número de casos confirmados. Os municípios do interior que apresentaram o maior aumento do número de óbitos nas duas últimas semanas de novembro foram Aracati e Brejo Santo, com incremento de 300% de mortes quando o índice é comparado às primeiras duas semanas do mês. Sobral, Tianguá, Icó e Crato também “apresentaram aumento de óbitos no mesmo período.”

Segundo Magda Almeida, Secretária Executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, esse novo incremento de casos tem sido percebido entre pessoas mais velhas. “Esse é um comportamento já esperado da epidemia, depois do aumento de casos em pacientes jovens a gente tem a contaminação dos pacientes mais vulneráveis, que são aqueles pacientes acima de 50 anos, principalmente aqueles acima de 70 anos, onde a letalidade é bem maior”, explica.

“A gente precisa nesse momento continuar fazendo o distanciamento social, fazendo o uso de máscaras e evitando expor esse grupos mais vulneráveis. O momento onde está cada vez mais consolidada a possibilidade de reinfecção onde quem já teve tem a possibilidade de ter novamente Covid-19”, alerta.

 


Por , em 2020-12-12 08:25:52


Fonte mais.opovo.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: