Reforma na Praça José de Alencar, em Fortaleza, é concluída após um ano, e ambulantes não devem retornar ao local | Ceará – Jornal Notícias do Ceará

A obra de requalificação da Praça José de Alencar, no Centro de Fortaleza, foi entregue nesta quinta-feira (31), depois de um ano de intervenções, que tiveram investimento de R$ 3,2 milhões. O espaço recebeu piso industrial, fonte luminosa e uma estação do programa Bicicletar. Segundo a prefeitura municipal, os vendedores ambulantes que antes atuavam no local não devem retornar, mas, sim, continuar no Feirão São Paulo e em quiosques nas ruas ao redor da praça.

Os feirantes deixaram o local em setembro do ano passado, quando o espaço foi isolado com tapumes, e foram distribuídos em pontos próximos ao logradouro. A obra iniciou em dezembro e teve de ser paralisada por três meses devido às restrições da pandemia do novo coronavírus.

A Rua Liberato Barroso, em frente ao Theatro José de Alencar, teve o pavimento reformado e ganhou passagem em nível com desenhos inspirados nos vitrais do equipamento cultural.

Também foi revitalizada a estátua do escritor José de Alencar, com limpeza e pintura em bronze, e instalada estação do Bicicletar com 14 modais e suporte para bicicletas particulares.

Manuela Nogueira, titular da Secretaria de Infraestrutura de Fortaleza (Seinf), destaca que a requalificação deve atrair o público da cidade e turistas. “O projeto da Praça foi discutido com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e com a Secretaria da Cultura, visto que ele vem com a ideia de abraçar esses bens tombados que tem ao redor”, acrescenta.

A falta de materiais para a construção, em decorrência da pandemia, impactou o andamento da obra, como lembra a secretária. “Com a volta na pandemia, nós tivemos o impacto na construção civil quanto aos prazos, visto que os fornecedores não estavam conseguindo atender materiais como granito, bancos e madeira”. As obras de construção do miniterminal de ônibus, previsto para o local, devem ser iniciadas no próximo ano.

“A ideia da gente é essa: que essa nova geração, o novo fortalezense, possa voltar a frequentar a Praça José de Alencar como ela era frequentada nesses áureos tempos. Para se divertir, ocupar os espaços públicos de forma correta e que essa fonte possa atrair não só o fortalezense, mas possa voltar a ser um espaço de visitação do turista”.

O secretário da Regional Centro, Adail Fontenele, afirma que os comerciantes que atuavam na praça devem permanecer nos espaços para onde foram distribuídos.

“No final do ano passado foi desativado todo o comércio que havia na praça e fizemos com muita cautela. Conseguimos tirar todos daqui e dar oportunidade aos que não puderam ficar nas ruas organizados e aqueles que estavam aqui na Praça”, explica.

Além do Feirão São Paulo, foram disponibilizadas estruturas nas ruas ao redor para a realização de comércio. “Fizemos os calçadões, da Guilherme Rocha, trecho da General Sampaio e a própria Liberato Barroso – de requalificação completa dos calçadões – e instalação de quiosques para os comerciantes que existiam lá. Destes, mais de 100 não puderam voltar. Tinha mais gente do que os quiosques”, destaca.

VÍDEOS: veja mais sobre o Ceará

Por , em 2020-12-31 16:34:00


Fonte g1.globo.com

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: