Governo revela: Agronegócio no Ceará só recolhe 0,1% do ICMS – Egídio Serpa – Jornal Notícias do Ceará

Sem qualquer objetivo de iniciar uma polêmica sobre o tema, uma alta autoridade do Governo do Ceará fez  uma revelação que chega a surpreender. 

O que disse ontem essa fonte a esta coluna foi transmitido e anotado nos seguintes termos: 

“Dos 100% da arrecadação tributária anual do Tesouro do Estado, apenas 0,1% provém do ICMS incidente sobre a atividade agropecuária. Assim, é improcedente a informação de que a agricultura e a pecuária cearenses não recebem incentivos do governo. Ao isentá-las de tributos, o Estado, na verdade, concede-lhes incentivos”. 

A fonte, que entende do assunto, falou com muita propriedade.

Os dados de que ela se valeu para ditar o que acima está escrito “ipis literis” lhe foram encaminhados  pela Secretaria da Fazenda, sendo, pois, oficiais. 

Antes que surja o natural e democrático contraditório, vale historiar esta questão, que é antiga. 

Até 20 anos atrás, o Ceará e os cearenses desconheciam a agricultura e a pecuária nos avançados padrões empresariais em que ela se encontra hoje. 

Até alcançar o atual figurino tecnológico e de gestão, os agropecuaristas, usando seus próprios recursos, investiram – e seguem investindo – no tratamento e enriquecimento do solo, na importação de sementes e, também, de técnicos estrangeiros especialistas em biogenética que melhoraram – e seguem melhorando – principalmente as frutas e hortaliças (é só atentar para as novas variedades de tomates, pimentões, melões, melancias, bananas e uvas sem caroço que hoje o Ceará produz na Chapada do Apodi e na Serra a Ibiapaba e comercializa para todo o País). 

O Ceará é, no Brasil, o maior produtor e exportador de melão; é o segundo maior criador de camarão (o primeiro é o Rio Grande do Norte, onde também um cearense, Cristiano Maia, lidera a produção); é o segundo maior exportador de banana (já foi o primeiro até dezembro de 2018, quando o Poder Legislativo, com o apoio e a sanção do Executivo, proibiu a pulverização aérea dos bananeirais), e tudo isso graças ao exclusivo investimento privado. 

Na relação dos agropecuaristas com o Estado, há mais ações convergentes do que opiniões divergentes. 

Na estrutura do governo há uma Secretaria Executiva do Agronegócio, e isto não é pouca coisa. Ela nasceu no governo Cid Gomes como uma diretoria da Adece.

O setor cresceu, e o governador Camilo Santana deu-lhe o status técnico-político de agora.

SEMPRE ATRASADO

Para que serve o Correios? 

Um profissional da comunicação, com contas a pagar todo mês, recebe com atraso, há mais de um ano, seus boletos bancários. Sua sorte é a internet, por meio da qual ele consegue obter a segunda via das faturas. 

O Correios é uma empresa estatal, como o são, também, a Petrobras e a Embrapa. Só que estas são centros de excelência do serviço público brasileiro, o que não é o caso do Correios.

LAVA JATO

Decidiu o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, encerrar as atividades da Operação Lava Jato em Curitiba. 

Sua decisão mereceu ampla divulgação da mídia e ganhou aplausos até dos indiciados pelas suas 79 operações – empresários e políticos que assaltaram, principalmente, a Petrobras. 

No Brasil, onde tudo termina em pizza, o crime parece que compensa. Infelizmente!!

SHALOM!!

Nos próximos dias 13 e 14, a Comunidade Católica Shalom realizará a primeira edição do “Alegrai-vos no Senhor”, o retiro de carnaval de 2021. 

O encontro terá 20 horas de transmissão online e gratuita. 

O objetivo da missão é levar e anunciar aos lares de todo o Brasil a alegria que não passa, mesmo em meio às dificuldades deste tempo, e assim permitir que os seus participantes tenham uma experiência com Deus e renovem a esperança e a fé por meio da programação diversificada do evento.

PACIFICAÇÃO

Tem causado boa impressão pelo que já disse em público o novo presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco. 


Sensato, tem apelado para a pacificação dos ânimos e para o encaminhamento da pauta das reformas tributária e administrativa e pela volta do Auxílio Emergencial, cujo valor deve respeitar o teto de gastos. 


Vai também na mesma trilha o novo presidente da Câmara dos Deputados, Artur Lira. Os dois reuniram-se ontem com o presidente Bolsonaro, acertando os ponteiros para um bom entendimento entre o Legislativo e o Executivo. 

INDEFINIÇÃO

Bolsas asiáticas fecharam em queda nesta quinta-feira.

As da Europa operam no equilíbrio. A escolha de Mário Draghi para chefiar um governo de emergência na Itália, que enfrenta uma aguda crise sanitária pela pandemia da Covid-19, teve boa influência nos mercados europeus.

O preço do petróleo sobe pelo quarto dia consecutivo, e o brent, negociado em Londres, alcança US$ 58,93 por barril.

Nos EUA, o governo de Joe Biden confirma que as empresas de tecnologia norte-americanas seguem proibidas de negociar com a chinesa Huawei.

No início desta manhã, era indefinida a tendência de Wall Street.

FECHANDO

Um diretor do Clube de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL) resumiu ontem sua opinião sobre as últimas medidas do governo do Estado para evirtar aglomerações neste tempo de pandemia da Covid-19:

“Parece que o objetivo é fechar os bares e os restauranres da cidade, causando mais desemprego”.

Há exagero na opinião do varejista, mas a consequência do último decreto governamental, se ele se mantiver por longo tempo, será essa mesma. 






Por , em 2021-02-04 06:15:00


Fonte diariodonordeste.verdesmares.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: