Fortaleza reduz mortes no trânsito, atinge meta da ONU e é destaque internacional – Focus.jor – Jornal Notícias do Ceará

Foto: Prefeitura de Fortaleza.

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Fortaleza é uma das cidades que mais reduziram as mortes no trânsito no período de seis anos. É o que revela reportagem publicada pela Revista Global Health, da Escola de Saúde Pública John Hopkins Bloomberg, um dos mais importantes centros de estudos em saúde pública do mundo.

A Capital cearense cumpriu a meta da ONU para 2020 ao reduzir em 50% as mortes no trânsito.

“A quarta maior cidade do Brasil se destaca por salvar 578 vidas desde 2014, reduzindo as mortes anuais no trânsito de 377 em 2014 para 197 em 2019. Outras cidades que lutam para fazer o mesmo podem aprender com o sucesso de Fortaleza reimaginando a segurança no trânsito e melhorando o design de ambientes urbanos”, ressalta um trecho da publicação.

A John Hopkins ainda considera exitosa a gestão do ex-prefeito Roberto Cláudio na parte da infraestrutura e mobilidade urbana.

“A vontade política é o principal motor do progresso. A administração do prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio, promoveu a segurança no trânsito como uma prioridade de saúde pública, unindo-se à rede global da Bloomberg Philanthropies de cidades e especialistas dedicados a reduzir mortes e lesões no trânsito. Fortaleza também investiu em campanhas de mídia de massa, educando e capacitando os cidadãos para reduzir os riscos que levam a acidentes, incluindo álcool e direção e falta de uso de capacete”.

Para a escola de saúde, os governos podem aprender com as lições de Fortaleza, entre elas:

“Reimaginar fundamentalmente a segurança no trânsito: as mortes no trânsito não são uma consequência inevitável das viagens nas estradas, e priorizar aqueles que estão em maior risco – pedestres, ciclistas e motociclistas – pode reduzir significativamente a probabilidade e a gravidade dos acidentes.

“Adotar um design urbano mais inteligente: muitas estradas são construídas para transportar veículos – não para transportar pessoas. Quando as ruas são projetadas para todos os usuários das vias, incluindo pedestres, ciclistas e motociclistas, as pessoas podem se mover com mais segurança”.

“Os limites de alta velocidade deixam os pedestres com pouca chance de sobreviver a um acidente. A falta de espaço na calçada, faixas de pedestres e ciclovias limitadas também levam a uma batalha desigual pelo pavimento; Fortaleza redesenhou suas ruas para dar aos pedestres mais acesso a áreas antes limitadas a carros e expandiu sua rede de ciclovias, triplicando sua infraestrutura de ciclismo.

 



Por , em 2021-02-11 18:04:00


Fonte www.focus.jor.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: