Histórias dos nomes das ruas de Fortaleza ganharão vida em livro via financiamento coletivo – Jornal Notícias do Ceará

Quantas histórias perdemos e deixamos passar em nosso dia a dia enérgico e corrido nas grandes cidades? Emmanuel Montenegro, cearense, pretende diminuir essa nossa distância entre cotidiano e a história de onde pisamos todos os dias.

Emmanuel iniciou um projeto de financiamento coletivo para um livro intitulado “Ruas Biográficas”, no qual pretende contar a história de origem de 300 ruas da capital cearense, na forma de microbiografias.

O autor tem como objetivo arrecadar pouco mais de 30 mil reais, que financiarão produção e entrega dos volumes. Claro, há também os extras, que são um charme à parte: almofada, sketchbook e caneca personalizados, em arte de muito bom gosto.

Se você não sabe o que é um financiamento coletivo, explicamos um pouco sobre essa modalidade de produção no final deste artigo!

Assuntos como este podem gerar produção cultural e científica da mais alta qualidade. Se este é o seu caso: você já está com seu projeto de pesquisa pronto?

Ruas Biográficas: inspiração

Tudo começou com um hábito de Montenegro: a exploração e descoberta de tesouros narrativos urbanos, cujos resultados eram publicados em seu antigo blog, “Caminhando e Escrevendo”. Certo dia, descobriu uma placa biográfica que identificavam e davam vida aos nomes de ruas de Fortaleza.

Um intrigado Montenegro, ainda estudante de jornalismo, pesquisou mais a fundo e descobriu a origem das placas: um projeto da década de 1990, realizado pela Fundação de Cultura e Turismo de Fortaleza, a Funcet, importante órgão de fomento cultural da cidade.

A investigação em campo continuou, e Montenegro acabou descobrindo muitas outras placas, a maioria em péssimo estado de conservação. A decisão de que precisava registrar tudo isso foi o estopim para Ruas Biográficas.

Se você está na faculdade e se interessa por esse tipo de investigação cultural, existem alguns caminhos e orientações que devem ser seguidas. Assim, você deve procurar saber o que é uma resenha e o que é uma investigação de campo.

Ruas Biográficas: tudo começou no Instagram

Já com a experiência de criar em manter um blog, Montenegro resolveu então que as placas biográficas teriam um novo veículo de disseminação de suas histórias: o Instagram, rede social focada em imagens e fotografias.

O resultado é um perfil com mais de 300 publicações, entre placas biográficas, placas de ruas e histórias que, apesar de pensadas para o ambiente virtual, se transformarão em uma peça física, única, portadora de imortalidade: o livro.

“Ruas Biográficas” teve transição tranquila entre dados e papel, segundo revela o autor. Quem apoiar o financiamento coletivo pagará cerca de R$ 40 pelo exemplar, mas há opções para diferentes bolsos e intenções – os mimos extras são um ótimo presente, por exemplo.

A vida secreta das ruas de Fortaleza

O autor destaca a riqueza das histórias dos nomes de ruas de Fortaleza, mantidos na sombra da ignorância de todos os que vivem na cidade. O garimpo de nomes, narrativas e vidas muitas vezes perdidas trouxe à tona alguns dados interessantes.

Os principais, segundo Montenegro, referem-se à própria identidade daqueles que emprestaram seus nomes às vias da capital cearense. Mulheres, por exemplo, são apenas de 12 a 14 entre o universo de 300 ruas, em 64 bairros da cidade.

Chamou também a atenção do autor a quantidade de ruas com homenagens a personagens militares. Fica óbvia, segundo impressões de Montenegro, a influência dos generais e outras patentes na vida das pessoas até meados da década de 1980, época em que findava nosso regime militar.

O que é um financiamento coletivo?

Projetos como “Ruas Biográficas”, totalmente independentes, têm sido possíveis graças a uma modalidade de financiamento que vem ganhando força no Brasil e no resto do mundo: o financiamento coletivo (ou crowdfunding, em sua terminologia original).

Trata-se de um método em que o autor – ou produtor – divulga o projeto daquilo que gostaria de ver materializado. Pode ser livro, quadrinho, álbum de música, jogos e até mesmo aplicativos. Também é do autor a responsabilidade de definir metas financeiras para o projeto.

A partir disso, pessoas podem aderir e financiar com cotas pessoais, atreladas a entregas pré-definidas. Quando a meta for batida e os prazos terminarem, começa a produção, e depois a entrega. Caso a meta não seja batida ou haja algum problema, todos os apoiadores são ressarcidos.

“Ruas Biográficas” seguiu essa mesma receita, e seu financiamento está hospedado no Catarse, uma das muitas plataformas de financiamento coletivo. Quer apoiar esse projeto? Clique aqui!



Por , em 2021-02-22 12:32:44


Fonte www.sopacultural.com

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: