Ceará: novo decreto implanta isolamento social mais rígido a – Jornal Notícias do Ceará

Em transmissão ao vivo em suas redes sociais, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) anunciou a decisão do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 por estabelecer decreto estadual de isolamento social rígido válido para todo o estado, a partir de sábado (13).

“Todo o esforço necessário que o estado tiver de fazer nós vamos fazer para garantir primeiro a vida das pessoas. Nesse momento não tem outra alternativa a não ser frear essa contaminação do vírus, e a única forma que nós temos hoje é através do isolamento social”, disse Camilo.

:: Covid: como se candidatar para receber vacinas que sobram nos postos de saúde em SP ::

A medida permite apenas o funcionamento da indústria e comércio de atividades essenciais, construção civil, além das unidades de saúde. Vale lembrar que desde o dia 5 a capital cearense já estava em isolamento social rígido.

Camilo justificou que a decisão do Comitê, de estender a medida a todo o Estado, se deu pelo fato de mais de 130 municípios cearenses estarem em alerta alto ou altíssimo do risco de contaminação pela covid-19.

 De acordo com o governador, o alerta altíssimo é quando praticamente a situação chegou ao limite nos municípios do ponto de vista da incidência de casos. Ele lembrou que na semana passada o Ceará tinha 78 municípios em alerta altíssimo e hoje o estado se encontra com mais de 130 em alerta alto ou altíssimo.

O secretário de Saúde do Estado, Dr. Cabeto apontou sobre a importância da realização do lockdown. Em sua fala, o secretário afirma que o isolamento social é muito duro, mas a sua realização tem três finalidades.

A primeira é diminuir a circulação viral, já que, de acordo com ele, “nós estamos em um momento cuja circulação viral está no seu ponto mais alto, similar ao que nós tivemos em abril e maio do ano passado”.

:: “O Brasil nunca passou por algo assim”, alerta o neurocientista Miguel Nicolelis ::

O segundo é evitar as mutações do vírus, que podem diminuir a eficiência das vacinas; e a terceira e última finalidade é não esgotar o sistema de saúde.

O governador também informou que a média de idade das pessoas que estão sendo internadas hoje no Ceará é entre 53 e 57 anos, isso tanto no sistema público como no privado.

De acordo com ele, mais de 54% da população que está sendo internada hoje nos hospitais no Ceará e em Fortaleza tem menos de 60 anos. “No ano passado as pessoas mais graves eram os idosos acima de 70 anos, 80, agora não, essa nova variante está sendo muito agressiva para uma população mais jovem, mais nova do Ceará”.

Leitos

Sobre a quantidade de leitos voltados para atendimento a pacientes com covid-19, Camilo informou que até o dia 3 de março, o Ceará estava com 2.326 leitos de enfermaria e 933 leitos de UTIs. Hoje, de acordo com ele, o Ceará já está com 2.482 leitos de enfermaria covid-19 e 1.082 leitos de UTIs em todo o estado.

“Lembrando que nossa meta até o final de março era 1.074, nós já ultrapassamos a meta de abertura de leitos de UTIs exclusivos para covid no Ceará”.

:: Após novo recorde de mortes por covid no Brasil, Venezuela pede resposta da ONU ::

“Enquanto não tivermos a vacina não há outra alternativa a não ser a prevenção, a não ser o isolamento social, o uso da máscara, a prevenção pra reduzir a transmissão do vírus e garantir que as pessoas estejam vivas, que as pessoas que a gente ama possam ter a oportunidade de ser atendida num leito de hospital e de não ser contaminada por esse vírus”, disse Camilo.



Segundo dados do Vacinômetro do estado do Ceará, já foram aplicadas 543.839 doses de vacinas em todo o estado. / Foto: Prefeitura de Fortaleza

Vacina

Na última quarta (10), o Ceará recebeu o oitavo lote de vacinas contra a covid-19. Dessa vez foram entregues 109.800 mil doses da vacina CoronaVac/Butantan.

De acordo com a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), o estado já recebeu 805 mil doses de vacinas contra a covid-19 até o momento. Foram 652 mil da CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e 153 mil da Oxford/AstraZeneca, do laboratório AstraZeneca e da Universidade de Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Segundo dados do Vacinômetro do Ceará, já foram aplicadas 543.839 doses de vacinas em todo o estado. Desses, 389.363 pessoas tomaram a primeira dose e 154.476 já tomaram a segunda dose.

Fonte: BdF Ceará

Edição: Leandro Melito e Vanessa Gonzaga

Por , em 2021-03-12 17:40:37


Fonte www.brasildefato.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: