UPA de Fortaleza tem movimentação intensa de ambulâncias durante transferência de pacientes com Covid-19 | Ceará – Jornal Notícias do Ceará

A Unidade de Pronto Atendimento (Upa) do Bairro Edson Queiroz, em Fortaleza, teve movimentação intensa de ambulâncias neste domingo (14), durante a transferência de pacientes com Covid-19. Familiares de pessoas que estavam internadas no local denunciam que a transferência foi ocasionada devido há possibilidade de faltar oxigênio na unidade.

  • Não falta oxigênio no Ceará, mas fornecimento a unidades municipais tem problema logístico, diz Camilo

Parentes de pessoas internadas disseram que ficaram sem informações sobre o estado de saúde de familiares — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

A Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza nega a falta de oxigênio e afirma que esse remanejamento é um procedimento comum e as transferências de pacientes ocorrem a medida que surgem vagas em novas unidades.

“A Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) informa que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Edson Queiroz, mesmo mediante a grande procura assistencial na unidade neste sábado e domingo (13 e 14), está dando suporte aos seus pacientes que estão em observação, alguns em ventilação mecânica e sendo transferidos para leitos de UTI e enfermaria, conforme perfil assistencial e disponibilidade de vagas”, diz um trecho da nota.

UPA de Fortaleza teve de transferir pacientes por falta de oxigênio na unidade — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

Além disso, a Secretaria da Saúde ressalta que a rede hospitalar da capital dispõe de 644 leitos destinados exclusivamente aos casos de infecção pelo novo Coronavírus. Destes, somente nas Upas municipais foram 170 novos leitos, em anexos, e há previsão de outros 20 serem disponibilizados nos próximos dias.

Neste domingo (14), o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) afirmou em nota nas redes sociais que não há falta de oxigênio no Ceará, mas existe um ‘’problema na entrega” aos municípios.

“Todos os hospitais e equipamentos de saúde do estado estão com suporte de oxigênio suficiente, mas há um problema de fornecimento em muitos equipamentos municipais pela questão da logística das empresas contratadas pelos municípios. Ou seja, não há falta de oxigênio no Ceará, mas problema na entrega dessas empresas para os municípios que as contrataram”, disse Camilo.

Familiares de pessoas internadas com Covid-19 em Fortaleza buscam informações sobre o estado de saúde de entes queridos — Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

Assista às notícias do Ceará no G1 em 1 Minuto:

Por , em 2021-03-15 07:57:03


Fonte g1.globo.com

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: