o que pode ter acontecido? – Jornal Notícias do Ceará

Davi Moura 5 min
bola de fogo no céu
Um objeto luminoso não-identificado apareceu no céu e surpreendeu moradores de Belém e pelo menos quatro municípios do Pará hoje à noite.

No início da noite de terça-feira (16) uma bola de fogo cruzou os céus no norte do país e foi vista de diversas localidades do Pará e do Ceará. Diversas imagens publicadas nas redes sociais registraram o fenômeno. Os testemunhos se concentraram na região metropolitana de Belém, onde boa parte do objeto se desintegrou. Porém, houveram também relatos vindos do estado do Ceará, a mais de 800 quilômetros de distância.

Ainda não há absoluta certeza de qual objeto espacial causou o fenômeno, porém algumas suposições já foram analisadas.

Resto de um foguete francês?

A Rede Brasileira de Observação de Meteoros (BRAMON) analisou o caso e informou tratar-se da reentrada de lixo espacial. A BRAMON coletou diversos relatos a partir das redes sociais e da sua ferramenta de reporte de bólidos, dando conta do avistamento de uma bola de fogo nos céus do Pará.

Baseado nos relatos e nas imagens, a BRAMON concluiu tratar-se da reentrada de lixo espacial e identificou um objeto que possivelmente é o que causou a bola de fogo observada no norte do país. Trata-se do objeto de identificação NORAD 33058. Seus dados orbitais indicavam um perigeu já muito baixo em sua última passagem observada na manhã dessa terça, 16.

No momento em que o fenômeno foi observado em Belém, o objeto deveria estar passando muito próximo ao local e em trajetória muito semelhante à bola de fogo. Esse objeto é uma parte do foguete francês Ariane 5, instalado na coifa, onde é colocada a carga útil do foguete. A peça interna, chamada de Sylda, permite o lançamento de dois satélites na mesma missão, pois separa as duas cargas dentro do compartimento e dispensa os satélites na órbita.

Esta parte específica foi lançada a partir da Guiana Francesa em 12 de junho de 2008.

Após fazer seu trabalho, a peça foi descartada e ficou orbitando o planeta por mais de uma década. Sua órbita o levava a mais de 3 mil quilômetros de distância da Terra no apogeu, o ponto mais distante. Porém, em sua última passagem, seu perigeu foi calculado em apenas 186 quilômetros da superfície terrestre. Nessa altitude, a atmosfera da Terra é muito rarefeita, mas já impõe certo arrasto ao objeto em órbita, o que provavelmente o levou a perder mais altitude até reentrar na atmosfera da Terra no início da noite dessa terça (16).

BRAMON
Trajetória preliminar da bola de fogo – Créditos: BRAMON

Em suas análises preliminares, a BRAMON mediu um trecho de 845 km em que o objeto levou 118 segundos para percorrer, indicando uma velocidade de 25,8 mil km/h, o que é compatível com a velocidade de reentrada de um objeto em órbita da Terra.

Satélite da Falcon 9?

Outra possibilidade apontada por alguns sites de notícia é que o rastro de luz e nuvens foi causado pelo foguete Falcon 9, da SpaceX, lançado o Kennedy Space Center da Nasa, na Flórida, por volta das 6 horas da manhã de domingo (14). Um dos satélites, o Starlink-18, passou pela região nordeste do Pará nesta terça e pôde ser visto a olho nu. O rastreamento do Starlink aponta que o objeto estava próximo de Belém e que poderia ser visível por volta das 7:20 pm da terça-feira (16).

Lixo da estação espacial internacional?

Algumas pessoas sugeriram que poderia ser a reentrada de lixo vindo da Estação Espacial Internacional, já que recentemente eles liberaram mais de 2 toneladas de detritos no espaço. Porém, esse lixo todo ficará orbitando o planeta por alguns anos ainda, e em uma trajetória bem diferente da bola de fogo observada nessa terça feira. Então, não há possibilidade de que os detritos descartados da Estação Espacial Internacional tenham causado esse evento.



Por , em 2021-03-17 19:27:31


Fonte www.tempo.com

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: