Modernização na iluminação de Natal vai economizar mais de R$ 1 milhão dos cofres públicos – Jornal Notícias do Ceará

Irapoã Nóbrega reforçou que o principal trabalho desenvolvido pela Semsur é a modernização da iluminação de Natal e que o projeto vai proporcionar uma economia de quase 60% aos cofres públicos. Foto: Semsur

A capital potiguar está recebendo melhorias tanto para o bem-estar dos moradores quanto para os turistas. Mesmo em meio à pandemia da covid-19, os investimentos não pararam e os serviços urbanos continuam funcionando a pleno vapor. Prova disso é a recente entrega da nova iluminação na Avenida Engenheiro Roberto Freire, uma das principais vias de Natal, que costuma registrar alta movimentação de pedestres.

No projeto da Roberto Freire, por exemplo, foram utilizadas lâmpadas de LED de alta potência, em substituição às de vapor metálico, o que irá proporcionar mais economia, além de segurança para os natalenses que praticam esportes e caminhadas a qualquer horário. O reforço da iluminação no calçadão faz parte de um projeto de modernização nas quatro regiões da cidade.

Também recentemente, a gestão municipal entregou o novo sistema de iluminação na orla, abrangendo desde a Praia dos Artistas, passando por Areia Preta até Ponta Negra. “Finalizamos essa primeira etapa, que foi a orla da cidade, apenas com exceção da Redinha porque já temos o projeto do terminal turístico de lá, que já engloba a iluminação”, explicou Irapoã Nóbrega, titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), pasta responsável pela execução dos serviços.

Ao Agora RN, Irapoã Nóbrega reforçou que o principal trabalho desenvolvido pela Semsur é a modernização da iluminação de Natal e que o projeto vai proporcionar uma economia de quase 60% aos cofres públicos. “Além da orla e da Avenida Roberto Freire, renovamos a iluminação do Tirol, Petrópolis e do Centro Histórico, que foi uma demanda do prefeito Álvaro Dias. Ele queria que o projeto englobasse a revitalização da Ribeira e do Centro Histórico de Natal. Trocamos todas as lâmpadas de várias ruas, de vapor de sódio para LED, o que vai gerar uma economia louvável para a cidade”, disse.

Até o momento, cerca de 10% do projeto está concluído, considerando a orla e o Centro Histórico. O plano, no entanto, é trocar a iluminação da cidade inteira por lâmpadas de LED de alta potência. “Nós pagamos em torno de R$ 2 milhões na conta de iluminação pública para a Cosern [Companhia Energética do Rio Grande do Norte], variando de acordo com a bandeira da Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica]. Quando toda a cidade tiver lâmpadas de LED, essa conta deverá cair para R$ 800 mil. O objetivo é deixar a cidade toda com LED, e a previsão é entregar em cerca de dois ou três anos”, afirmou o secretário.

A intenção, segundo Irapoã, é expandir a iluminação de LED para a área periférica da cidade, com ampliação de rede em todas as regiões. Nesta primeira etapa, foram gastos R$ 6 milhões e o projeto deve ser finalizado em um valor entre R$ 30 e R$ 40 milhões. “Estamos terminando a planilha orçamentária e esperando a nova licitação, mas o investimento não vai ser baixo. São nossos impostos e estamos investindo para a melhoria de toda a capital potiguar”, frisou.

Para o secretário, as melhorias levarão maior bem-estar para a população: “Com a melhora da pandemia, já vemos muitos turistas e moradores caminhando na Via Costeira e temos a sensação de segurança com uma melhor iluminação, já que sabemos que os criminosos buscam lugares escuros para se esconder”, pontuou.

A insegurança também ocasiona furto de cabeamentos, como relembra Irapoã. “No último mês, a frequência de roubos diminuiu. Mas a Escadaria de Mãe Luiza, por exemplo, registrou dois ou três roubos. Já entramos em contato inclusive com as lideranças comunitárias do bairro, que vem nos ajudando a combater essas ações. Os criminosos roubam cabos de LED, porque são de cobre e valem mais”.

Secretário Irapoã Nóbrega acompanha os serviços que promovem bem-estar de quem mora e quem visita Natal. Foto: Semsur

Alamedas

No começo de julho, a Alameda Marinho Chagas, no Parque dos Coqueiros, passou por um amplo processo de modernização e ganhou nova iluminação, contando com 113 postes de luminárias de LED de alta potência e eficiência. A nova alameda está situada na Área de Lazer Marinho Chagas, que fica entre as avenidas das Seringueiras e Pedro Álvares Cabral, no conjunto Parque dos Coqueiros, Zona Norte de Natal.

Pouco antes, a Semsur entregou a Alameda do Calçadão da Avenida Engenheiro Roberto Freire com o objetivo de atrair a comunidade para o equipamento público. “Estamos trabalhando também na revitalização das alamedas da Campos Sales e Afonso Pena. As alamedas oferecem bem-estar para a população e, por isso, estamos potencializando esses espaços para a sociedade. Vamos fazer a recuperação de outras alamedas na Zona Norte da cidade também”, apontou Irapoã Nóbrega. O Município tem planejado a modernização das alamedas Maranguape (Av. Maranguape) e Soledade (por trás do terminal de ônibus do conjunto Soledade).

Praças

De acordo com o secretário, Natal possui 264 praças e 30 áreas verdes de administração pública. Nos últimos dois anos, foram mais de R$ 5 milhões em investimentos neste setor. “Já reformamos mais de 50 praças e estamos revitalizando algumas outras. Entregamos recentemente a Praça das Flores com novo passeio, novos banheiros, iluminação, mantivemos os boxes e implementamos novo paisagismo. Durante os próximos três meses, teremos um funcionário para tomar conta do paisagismo. Depois, os permissionários dos boxes vão adotar a manutenção da praça”.

“Essa parceria entre o poder público e a população é essencial para manter os lugares conservados. Em Igapó, a população cuida da praça Élia de Barros, que foi entregue em 2019. Vemos que a população está integrada. A Praça das Mangueiras também está sendo bem cuidada, porque é um lugar de diversão familiar”, pontuou. Além da criação estética, as praças trazem uma função social e são de extrema importância ecológica.

Sobre as academias ao ar livre, o secretário afirmou que está condicionando algumas exigências para as instalações. “O ideal é ter academias apenas em praças porque precisamos dessa estrutura mínima. Já entregamos mais de 50 academias no último ano. Entregaremos mais 15 ou 20, em breve”.

Mercados

Ao todo, há oito mercados públicos na capital potiguar. O Mercado da Seis passou recentemente por uma reforma. “Renovamos a parte hidráulica, elétrica, climatização e cobertura. Além disso, conseguimos entregar o Mercado de Petrópolis, que já está voltando a funcionar depois do isolamento social causado pela pandemia. Vamos fazer, em breve, nova licitação para ocupação de boxes”, afirmou.

Já o Mercado das Rocas está em pleno funcionamento. Após longas reformas, o local foi reaberto em outubro do ano passado com todos os ajustes concluídos pela Semsur. Ao todo, o centro comercial possui 83 boxes com infraestrutura melhorada, além da questão da ventilação 100% resolvida – o calor extremo era um problema constante para as pessoas que frequentavam o mercado. O objetivo da pasta é retomar a manutenção de todos os mercados a partir de agosto e voltar a movimentar esse importante corredor turístico local.

Feiras

Natal possui 21 feiras livres monitoradas pela Semsur, que ocorrem nos sete dias da semana. “O ideal é diminuir algumas feiras, fazer uma fusão já que algumas feiras só têm 12 bancas, por exemplo, porque não há movimentação suficiente. Precisamos também da ajuda dos banqueiros para não deixar mercadorias e bancas na rua. Uma parceria entre a Secretaria e os trabalhadores seria ótima, porque precisamos melhorar o layout da feira. Vamos começar a fiscalizar de forma mais eficaz, e até punitiva, se precisar”, disse Irapoã.

É dever da Semsur promover uma política de gestão que vise revitalizar as feiras livres, promover periodicamente um estudo que retrate a necessidade de adequação e/ou ampliação dos lugares onde estão localizadas as feiras, além de instituir um cronograma de ações, adequado às atividades desenvolvidas nas feiras, para cumprimento das determinações da Vigilância Sanitária.

Horto Municipal

O Horto Municipal passou por reformas que possibilitam uma estrutura mais moderna e adequada ao trabalho, principalmente no que se refere à produção e conservação de mudas para o plantio na cidade. No espaço, são cultivadas as mudas de pequeno porte utilizadas pela Prefeitura do Natal no projeto Planta Natal e em ações paisagísticas de canteiros e praças.

Além da produção de mudas, o Horto Municipal também realiza um trabalho de recuperação das gramas que sobram dos plantios realizados nos canteiros da cidade para posteriormente serem aproveitadas. Localizado na rua Cantagalo, no conjunto Santa Catarina, no bairro Potengi, Zona Norte de Natal, o Horto funciona diariamente das 7h às 13h. Uma equipe de 11 funcionários é responsável pelo manuseio das plantas e preparação das mudas que ficam estocadas no espaço até serem solicitadas pelas equipes de jardinagem e paisagismo da Semsur.

A nova estrutura do Horto proporciona ao cidadão acesso ao projeto Planta Natal, que tem como objetivo espalhar mais de 20 mil árvores nativas na cidade. Mas o projeto não se resume a isso. Através dele, a gestão municipal poderá conscientizar o cidadão sobre as boas práticas ambientais para uma cidade sustentável.

Ainda no contexto ambiental, o secretário Irapoã Nóbrega comentou o serviço de podas de árvores. “A demanda é enorme. Como o contrato é enxuto, temos mais dificuldades. Mas trabalhamos bastante nas avenidas principais, para que as árvores não atrapalhem o trânsito. As árvores são lindas, mas pedimos a compreensão das pessoas porque quando estamos podando árvores, temos responsabilidade para fazer o melhor com o objetivo de evitar acidentes”.

Por , em 2021-07-28 09:10:15


Fonte agorarn.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: