Inflação desacelera em Fortaleza em outubro e é a segunda menor do país | Ceará – Jornal Notícias do Ceará

A escalada da inflação em Fortaleza deu uma desacelerada em outubro e é a segunda menor do Brasil no mês. Conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), oficial do país, a inflação de outubro, na Região Metropolitana de Fortaleza, foi de 0,96%; 0,26 ponto percentual menor que a taxa de setembro (1,22%).

  • IPCA: inflação oficial fica em 1,25% em outubro e atinge 10,67% em 12 meses

Esse resultado mensal é o segundo menor entre as regiões metropolitanas brasileiras pesquisadas pelo instituto. O índice só não é menor do que o de Belém (0,64%). Veja tabela abaixo.

Inflação

Cidades Setembro Outubro
FORTALEZA (CE) 1,22 0,96
Rio Branco (AC) 1,56 0,99
São Luís (MA) 1,01 1,38
Aracaju (SE) 1,19 1,14
Campo Grande (MS) 1,25 1,05
Goiânia (GO) 0,81 1,53
Brasília (DF) 0,79 1,25
Belém (PA) 1,04 0,64
Recife (PE) 1,10 1,09
Salvador (BA) 1,11 1,22
Belo Horizonte (MG) 1,34 1,22
Grande Vitória (ES) 1,24 1,53
Rio de Janeiro (RJ) 1,22 1,16
São Paulo (SP) 1,01 1,34
Curitiba (PR) 1,54 1,45
Porto Alegre (RS) 1,53 1,14
Brasil 1,16 1,25

No ano, o IPCA acumula alta de 8,87% e, nos últimos 12 meses, de 11,34%, acima dos 11,19% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2020, a variação mensal foi de 0,83%.

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete tiveram alta em outubro. O maior impacto (0,48 p.p.) e a maior variação (2,55%) vieram dos transportes, que aceleraram em relação a setembro (1,68%).

A segunda maior contribuição (0,20 p.p.) veio de alimentação e bebidas (0,85%), enquanto a segunda maior variação veio do grupo habitação (1,14%). Destacam-se ainda os resultados de vestuário, com alta de 0,83% e 0,04 p.p. de impacto, e comunicação, que variou 0,52%, contribuindo com 0,02 p.p. no índice do mês. Os demais grupos ficaram entre o (- 0,04%) de saúde e cuidados pessoais e o 0,23% de artigos de residência.

Esse resultado mensal é o segundo menor entre as regiões metropolitanas brasileiras pesquisadas pelo instituto. — Foto: IBGE/Reprodução

Os cinco subitens investigados pelo IPCA com maiores variações neste mês de outubro são:

  • Gasolina (4,55%)
  • Passagem aérea (27,72%)
  • Energia elétrica residencial (1,41%)
  • Gás de botijão (2,91%)
  • Frango inteiro (3,63%)

Os cinco subitens investigados pelo IPCA com variações negativas em outubro são:

  • Automóvel novo (-0,81%)
  • Carne de porco (-4,34%)
  • Banana-parta (- 7,00%)
  • Pão francês (-1,19%)
  • Perfume (-0,83%)

IPCA: inflação sobe 1,25% em outubro, a maior alta para o mês desde 2002

Assista às notícias do Ceará no g1 em 1 Minuto:

Por , em 2021-11-10 11:15:45


Fonte g1.globo.com

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: