Ceará na COP 26: depoimento do economista Célio Fernando – Egídio Serpa – Jornal Notícias do Ceará

Secretário Executivo da Casa Civil do Governo do Estado, o economista Célio Fernando retornou de Glasgow, onde, representando o Ceará, reforçou a posição pró sustentabilidade na pós pandemia. 

Para esta coluna, ele transmitiu o depoimento a seguir: 

“Na COP 26, o Ceará sustentável apresentou-se preparado para o novo momento do mercado mundial a atração de investimentos na linha responsabilidade social e ambiental. 

“As corporações presentes na COP 26 mostraram a firme intenção de investir nos caminhos do ESG – Environmental, Social and Governance. Governos do mundo inteiro apresentaram soluções para mitigar os impactos das mudanças do clima, principalmente na transição energética dos combustíveis fósseis para as energias renováveis. 

“O Hidrogênio Verde foi apresentado como tendência pelo Japão, que mostrou 10 projetos diferentes no processo de obtenção e distribuição. Alemanha, Australia, França, Dinamarca e outros Países do grupo dos Chamados Desenvolvidos também apresentaram suas soluções na direção do Hidrogênio Verde – H2V. 

“O Ceará esteve em evidência, com participações relevantes, começando pela FIEC que, no Pavilhão Brasil, mostrou o Nordeste e, em especial, o nosso Estado como protagonist no Hidrogênio Verde. 

“Tive participação no Brazil Climate Action Group em um momento de debates com o Prefeito João Campos, de Recife, e a professora Julia Motte-BaumVol, das universidades de Oxford e de Paris e visitante da UFC. A pauta foi a transição energética justa apresentando o programa Renda do Sol da Plataforma Ceará 2050, que se traduz na perspectiva de propiciar células fotovoltaicas para inclusão produtiva e social dos mais vulneráveis. 

“O terceiro momento foi durante o networking na COP 26,  na University of Strathclyde, no domingo passado, no Centro de Tecnologia e Inovação, quando – pelo Under 2 Secretariat Climate Group – participamos do evento  “Da Retórica à Realidade”, apresentando o projeto piloto da Renda do Sol e a Proteção dos Mangues, tendo como foco a regeneração e a conservação da biodiversidade marinha, nesse ecossistema de transição do bioma terrestre e o bioma marinho, com 19 mil hectares de mangues, que hoje capturam 8 milhões de toneladas de carbono por ano. 

“Uma quarta apresentação merecedora de destaque foi a de Max Silva, cearense de Quixadá, pelo Center for Enviromental Peacebuilding, com sede em Boston, um dos responsáveis pelo inventário de Carbono do Bioma da Caatinga, abordando Biodiversidade e Mudanças Climáticas, citando a experiência do Ceará no EuroClima Pavilion. Tivemos também a participação do professor cearense Bosco Monte, Presidente do Instituto Brasil África em mais uma grande momento do Green Pavilion. 

“Agradeço o apoio do Carbon Disclosure Project LatAm, nas pessoas de Rebeca e Gustavo, bem como a acolhida ofertada pela Under 2 Coalition, Rolf e Natalie, além de toda equipe da PeaceBuilding, em especial a Amber. 

“Foram muitos momentos e apoios ao Estado do Ceará. Agradeço especialmente ao Governador Camilo Santana, que abraça essa bandeira chave para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental, ao secretário chefe da Casa Civil – Chagas Vieira – que não mediu esforços para  garantir a representação do Estado do Ceará na COP 26, bem como aos secretários Maia Junior, Artur Bruno, César Ribeiro pelo apoio incondicional nessa jornada. Aproveito também para ressaltar a colaboração das equipes técnicas da SEDET, Constantino e Expedito, da SEINFRA, Adão Linhares, da SEMA, Marcelo Soares e Magda Marinho, da UFC, profa. Tarin Mont’alverne.”



Por , em 2021-11-12 05:51:48


Fonte diariodonordeste.verdesmares.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: