Em visita ao Ceará, Queiroga assina acordo de R$ 1 milhão com instituição filantrópica de Fortaleza – Jornal Notícias do Ceará

O Ministério da Saúde (MS) oficializou nesta sexta-feira, 12, um acordo de cooperação técnica com o Instituto da Primeira Infância (Iprede), entidade cearense sem fins lucrativos que promove ações de combate à desnutrição infantil em municípios do Nordeste e Norte do País. O termo de parceria foi assinado pelo Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante cerimônia realizada na sede da instituição, em Fortaleza. O pacto prevê investimento de quase R$ 1 milhão em ações de prevenção à gravidez na adolescência e combate ao uso de drogas lícitas e ilícitas.

A ação também conta com a parceria da Organização Panamericana de Saúde (OPAS), representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, que junto com o Iprede promoverá cursos de qualificação para profissionais de saúde, educação, assistência social, conselhos tutelares, além de lideranças comunitárias e associações religiosas. Segundo o Ministério, o objetivo da ação é qualificar os trabalhadores e agentes sociais para torná-los multiplicadores das práticas de prevenção relacionadas à gravidez precoce e ao potencial nocivo de substâncias alucinógenas.

O projeto será desenvolvido por meio da Secretaria Nacional de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde (SGTES), que tem como titular a médica cearense Mayra Pinheiro. Segundo ela, o Iprede foi escolhido para liderar a iniciativa por ser uma instituição de referência internacional em ações de promoção e prevenção da saúde na primeira infância.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“É uma entidade reconhecida em muitos países pelo seu papel social de transformar vidas. Com essa parceria, que muito nos orgulha, buscamos fortalecer ainda mais a prevenção, que é um dos elementos mais importantes do SUS. A intenção é fazer com que a sociedade tome conhecimento da necessidade que cada um de nós tem de trabalhar com esses temas, evitando as morbidades relacionadas a eles”, afirmou a secretária.

As ações a serem desenvolvidas através do acordo integram os Ciclos Itinerantes de Promoção e Prevenção em Saúde, lançados em setembro de 2020 pelo MS. O projeto centraliza atividades em quatro eixos temáticos: Prevenção do Suicídio e da Automutilação; Prevenção da Gravidez na Adolescência; Prevenção do Consumo de Drogas Lícitas e Ilícitas; e Ética da vida, relacionada à prevenção da violência contra crianças, mulheres e idosos.

Para Socorro Gross, representante da OPAS/OMS, o acordo pactuado com a instituição cearense pode fomentar iniciativas semelhantes em outros lugares do mundo. “Ser parte desse projeto para nós é importante porque esse compromisso é um exemplo do que queremos e podemos fazer. Converge com o nosso histórico de lutas por um mundo melhor, sem doenças e com ações amplas e contínuas de promoção da saúde. Precisamos olhar para as crianças e adolescentes porque quando falamos deles estamos falando do futuro, mas temos de pensar que o futuro também pode ser hoje e que são as ações do presente que trarão um futuro melhor”, disse Gross durante a solenidade.

Em discurso logo após a assinatura do termo, Marcelo Queiroga disse que políticas públicas de saúde e educação devem “caminhar juntas para a garantia da dignidade da pessoa humana”. Segundo o Ministro, a prioridade do projeto deve ser as ações de combate às drogas. “O objetivo maior dessa parceria é a valorização da vida. Temos que trabalhar fortemente para combater o uso de drogas, principalmente aquelas que muitos querem relativizar o seu potencial nocivo, como é o caso da maconha. É urgente essa questão porque se não cuidarmos das nossas crianças e adolescentes, seremos um país sem futuro”, frisou Queiroga.

Combate à desnutrição

O Iprede foi fundado em 1986 por profissionais da saúde sensibilizados pelas condições de crianças em situação de desnutrição grave e que vivem em vulnerabilidade social no Ceará. Ao longo desses anos, a instituição colaborou com ações para a diminuição da taxa de desnutrição de 30% para 7% nas áreas onde atua, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (PNSN).

Em média, o Iprede atende 950 famílias por mês. Também desenvolve projetos com foco na capacitação profissional de mães e responsáveis pelas crianças. O projeto “TransforMaria”, por exemplo, ensina mulheres a cozinhar e entrar no mercado de trabalho.

O Iprede também tem parcerias com instituições de ensino como Universidade Federal do Ceará, Harvard (EUA), Universidade de Québec (Canadá) e Academia de Ciências da China em pesquisas ligadas à neurociência e estimulação de crianças.

Passaporte da vacina

A visita do ministro da Saúde ao Ceará, segunda em menos de três meses, ocorre no dia em que o governador Camilo Santana determinou a obrigatoriedade do passaporte da vacina para a entrada em bares, restaurantes e eventos sociais. Na saída do evento, ao ser questionado pela imprensa, Queiroga classificou a medida como “absolutamente desnecessária”, citando que 85% da população de Fortaleza, segundo ele, já estaria vacinada com as duas doses do imunizante contra a Covid-19. Esse percentual, no entanto, é de pouco mais de 62%, conforme os números do Vacinômetro da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) atualizados nesta sexta-feira, 12. Considerando a média de todos os municípios do Ceará, o indicador alcança 60,22%.

Ainda no discurso durante o evento, Queiroga alfinetou os governadores ao ressaltar que “todas as doses de vacinas aplicadas nos brasileiros foram adquiridas pelo Governo Federal”. E ainda acrescentou: “Vamos trabalhar para ter, quem sabe, um natal sem máscaras. E depois, vamos desmascarar os mascarados de sempre”.

Ao contrário do que foi dito pelo Ministro, ao menos cinco estados brasileiros efetuaram compra direta de vacinas contra a Covid-19, entre eles o Ceará, que em setembro passado adquiriu cerca de 300 mil doses de CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan. O mesmo foi feito por Espírito Santo, Piauí, Pará e Mato Grosso. No total, as cinco Unidades da Federação obtiveram 2,5 milhões de vacinas.

Em uma rede social, o governador Camilo Santana, sem citar o ministro, respondeu ao comentário, ontem à noite. “Sobre o Passaporte da Vacina, reafirmo o que sempre disse desde o início da pandemia: jamais terei medo de tomar qualquer medida que seja necessária para salvar vidas. Sempre seguindo a ciência e, jamais, os negacionistas, que podem me criticar e atacar à vontade. Perdem tempo”, disse o governador. 

 

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas e acessos ilimitados. Clique e assine O POVO+.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags



Por , em 2021-11-12 22:08:54


Fonte www.opovo.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: