Setor de serviços no Ceará acumula alta de 11,1% em 2021 mesmo com queda em setembro  – Jornal Notícias do Ceará

O segmento de prestação de serviços no Ceará mantém sequência de recuperação em 2021. A alta no volume de serviços prestados no Estado durante o ano chega a 11,1% no acumulado entre janeiro e setembro. As informações são da Pesquisa Mensal de Serviços e foram divulgadas na manhã desta sexta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa destaca ainda um crescimento de 14,8% no volume de serviços registrados no Estado no comparativos entre o nono mês deste ano e igual período de 2020. Taxa reforça continuidade de recuperação do segmento apesar da queda de 0,4% registrada na passagem de agosto para setembro no Estado. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O leve recuo foi registrado após sete meses de alta no segmento, sendo o segundo resultado negativo no ano. O primeiro foi na passagem de dezembro de 2020 para janeiro de 2021, quando o setor encolheu 2,8%. 

Mesmo com a queda de setembro, o volume de caixa movimentado pelo setor no Ceará apresenta alta de 0,5%. Ou seja, o faturamento das empresas do setor manteve sequência de crescimento registrada desde o mês de maio. 

No acumulado do ano, o volume de dinheiro gerado pela prestação de serviços no Ceará aumentou 13,3%. Em um ano, o crescimento da receita gerada pelas atividades do segmento atinge o patamar de 20,6% após as quedas expressivas registradas durante o ano de 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19. 

Evolução da oferta de serviços no Ceará em um ano

A evolução dos serviços prestados no Estado gera um cenário de recuperação animador no comparativo entre setembro de 2021 e setembro de 2020. Confira a evolução de cada área do setor em um ano:

  • Serviços prestados às famílias: alta de 29,1%
  • Serviços de informação e comunicação: crescimento de 21,8%
  • Serviços profissionais, administrativos e complementares: queda de 2,6%
  • Transporte, serviços auxiliares aos transporte e correio: alta de 19,4%
  • Outros serviços: alta de 12%

Cenário nacional

A Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE revela ainda que setembro foi um mês de queda generalizada para atividades deste segmento no Brasil. Das 27 unidades federativas pesquisadas, 20 registraram redução na demanda por serviços. Saldo fez com que o média nacional de prestação de serviços no Brasil recuasse 0,6% na passagem de agosto para setembro. 

Entre as quedas, as mais expressivas foram Sergipe com redução de 5,7%, Acre com queda de 4,8% e Alagoas e Tocantins empatados com reduções de 3% na prestação de serviços. Entre as sete unidades federativas que registraram altas, o cenário é diverso.

Os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Norte registram altas modestas de 0,3% e 0,4% respectivamente. Em cenário mais animados, Rio de Janeiro, Amazonas, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul computaram alta média de 2,6%. Em cenário extraordinário, o estado de Roraima registrou alta de 10,6% na oferta de serviços no mês de setembro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Por , em 2021-11-12 10:01:00


Fonte www.opovo.com.br

Redação

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: